Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Aos pais que perdem seus filhos...


Elegia do filho perdido (08/04/2011)

O que morre em Cristo será chorado pela sua falta,
mas nunca pelo seu fim...



Um filho que é ido antes de nascer o dia
é um eclipse na aurora dessa tua alegria.

Um filho que é ido antes de aquecido o sol
é uma elipse da palavra que nunca se disse.

Um filho que é ido antes de raiar seu riso
é arco-íris que não há, arrebol que inexiste.

Um filho que é ido antes do badalar do sino
é abraço que não se dá, afago baldado no ar.

Um filho que é ido antes de dizer-te adeus
é abrupta visita da Hora que devora os teus.

Um filho que é ido antes do tempo de agora
termina por transbordar a taça da tua elegia.

Um filho que é ido antes desse meio-dia
é a morte que aborta o viço da tua vida:

O filho perdido antes do encontro marcado
é a lâmina da lágrima neste poema enlutado.

Fábio Ribas

Publicado originalmente em 08/04/2011 aqui

3 comentários:

Anselmo Melo disse...

Ontem ouvi um relato emocionado de um pai que teve seu filho assassinado por causa de um celular. Não vi raiva em seus olhos, nem percebi ódio em suas palavras. Só tristeza, muita tristeza e dor inconsolável. Não saberia dizer se pode existir sentimento de perda maior.
Grande abraço meu amigo. Lindo texto. (Como sempre)!

Mulher na Polícia disse...

Como explicar uma dor dessas?
Como consolar alguém passando por esse tipo de dor?

Só a graça divina...

Mulher na Polícia disse...

em tempo...

Uma boa semana pra vocês, queridos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...