Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Desde quando a "sinceridade" me dá o direito de praticar o mal?

CHARLES SWINDOLL
"Ângela Atwood foi uma garota querida, honesta e sincera que — à semelhança de Cristo — morreu pelas coisas em que acreditava."

Essas palavras saíram de fato dos lábios de um padre católico romano, enquanto proferia a apologia de Ângela às pessoas que se haviam reunido na Igreja de São Paulo, do Prospect Park, em Nova Jersey. Visto que os eventos pertinentes à morte de Ângela desapareceram na história sórdida da era radical da América, permita-me refrescar-lhe a memória. Esta jovem pertencia à súcia de seis membros da pesada, que se chamavam a si mesmos "Exército Libertador Simbionês." Ela e seus companheiros foram mortos num violento tiroteio com as autoridades que fazem cumprir a lei, em Los Angeles, nos anos setenta.

"Esta moça sincera estava seguindo uma vocação cristã", disse o padre, visto que ela, à semelhança de Cristo, estava disposta a morrer pelo que ela sinceramente acatava e em que acreditava. Embora fosse uma perigosa meliante, ofensora da lei, fugitiva treinada na horrenda arte de assassinar, a sinceridade de Ângela livrou-a — assim acreditava o padre — da culpa e (acredite se quiser) ligou-a a Cristo.

"Sinceridade" é considerada cartão de crédito internacional de ampla aceitação. Esfregue-o no rosto do Senhor e Senhora Público Ingênuo e a sinceridade será honrada sem questionamento. Não importa quão imensas sejam as dívidas que o usuário possa ter contraído, ou como o cartão tenha sido mal-utilizado, a "sinceridade" apagará toda a suspeita, validará todas as ações. Você nem sequer precisa assinar um recibo comprovante. Basta escrever "Eu sou sincero" no final de cada transação e você se terá tornado mais uma criatura na fila colossal dos que carregam esse cartão, os quais mantêm o mundo na crista da crise. Por alguma razão estranha a justiça dormita, enquanto o juiz e o júri sorriem diante do veredicto final: "Não culpado... inocente, por causa da sinceridade."

Desde quando a "sinceridade" me dá o direito de praticar o mal? Charles Whitman era sincero quando levou sua arma poderosa ao topo da torre de observação da Universidade do Texas e assassinou dezesseis transeuntes inocentes. O jovem terrorista árabe era sincero quando dirigiu um veículo cheio de explosivos por cima das barracas dos fuzileiros navais em Beirut, matando 241 jovens americanos mantenedores da paz. Também era sincero Sirhan Sirhan quando assassinou o se­nador Robert Kennedy... e Adolfo Hitler, quando escreveu Mein-Kampf... e Benedic Arnold, quando traiu seu país às margens do rio Hudson... e Judas, quando vendeu a própria alma por 30 moedas de prata.

Claro que eram sinceros. Mas estavam sinceramente errados. Nenhuma terrível devoção, determinação ou envolvimento sacrificial, ainda que excepcionalmente imensos, dedicados a ações erradas, transformariam tais ações em atos corretos. Gritar mais alto não transforma um argumento fraco em forte. Guiar mais depressa não ajuda quando você está perdido. Acrescentar mais algumas assinaturas não transforma um diploma universitário falso em documento respeitável. E é assim que tampouco a sinceridade consegue desculpar o pecado, não importando de modo algum o que um clérigo bem intencionado, e mal orientado, possa dizer num funeral.

Todavia, será que isso significa que a sinceridade é questionável? Na verdade, não. Seria melhor dizer que o valor da sinceridade depende daquilo que ela representa. Em sua carta aos crentes filipenses, Paulo ora assim:

"E esta é a minha oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda percepção, para que possais discernir as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e inculpáveis até ao dia de Cristo" (Filipenses 1:9-10)

Nós, que nos empenhamos numa busca de caráter, devemos permitir que a sinceridade se torne nosso distintivo de excelência, durante todos os nossos dias na terra. Sincero é palavra derivada do latim, significando "sem cera." O termo grego significa "testado ao sol." Entenda, então: os antigos produziam um tipo fino de porcelana que, quando exposta ao calor do forno, fissuras diminutas apareciam. Mercadores desonestos esfregavam cera branca, perolada, por sobre tais fissuras, e as peças eram vendidas como sendo íntegras — a menos que fossem expostas ao sol. Os mercadores honestos marcavam suas peças intactas com as palavras sine cera — "sem cera."

Esta é a sinceridade genuína. Nada de máscara, nada de hipocrisia. Nada de rachaduras recobertas e escondidas. Quando a verdadeira sinceridade fluí de nossa vida, aprovam-se as coisas excelentes — para fazer paráfrase de Paulo. Somos então (e só então) "semelhantes a Cristo."

Quando o sol brilha e nos aquece, e testa nossa vida, a ausência de rachaduras garante a presença da verdade. Você não consegue separar estas duas coisas... não importando quão sincero você seja.

A Busca de Hoje
João 4:23 assegura-nos que nosso Pai procura nossa adoração. Ele anseia por ter "verdadeiros adoradores," não adoradores falsificados... ou hipócritas. Visto que "todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas" (Hebreus 4:13), nem sequer façamos alguma tentativa de fingir. Os verdadeiros adoradores são os que vêm limpos, com rachaduras e tudo. Seja um deles, hoje, quando você se ajoelhar na presença de Deus.


Leia o Salmo 139.

Charles Swindoll

sábado, 13 de setembro de 2014

14 CARACTERÍSTICAS DE UMA MULHER QUE AMA DEMAIS

Robin Norwood
  1. Vem de um lar desajustado, em que suas necessidades emocionais não foram satisfeitas;
  2. Como não recebeu um mínimo de atenção, tenta suprir essa necessidade insatisfeita através de outra pessoa, tornando-se super atenciosa, principalmente com homens aparentemente carentes;
  3. Como não pode transformar seus pais nas pessoas atenciosas, amáveis e afetuosas de que precisava, reage fortemente ao tipo de homem familiar, porém inacessível, o qual tenta, transformar através de seu amor;
  4. Com medo de ser abandonada, faz qualquer coisa para impedir o fim do relacionamento;
  5. Quase nada é problema, toma muito tempo ou mesmo custa demais, se for para "ajudar" o homem com quem esta envolvida;
  6. Habituada à falta de amor em relacionamentos pessoais, está disposta a ter paciência, esperança, tentando agradar cada vez mais;
  7. Está disposta a arcar com mais de 50% da responsabilidade, da culpa e das falhas em qualquer relacionamento;
  8. Sua auto-estima está criticamente baixa, e no fundo não acredita que mereça ser feliz. Ao contrário, acredita que deve conquistar o direito de desfrutar a vida;
  9. Como experimentou pouca segurança na infância, tem uma necessidade desesperadora de controlar seus homens e seus relacionamentos. Mascara seus esforços para controlar pessoas e situações, mostrando-se "prestativa";
  10. Esta muito mais em contato com o sonho de como o relacionamento poderia ser, do que com a realidade da situação;
  11. Tem tendência psicológica, e com freqüência, bioquímica a se tornar dependente de drogas, álcool e/ou certos tipos de alimento, principalmente doces;
  12. Ao ser atraída por pessoas com problemas que precisam de solução, ou ao se envolver em situações caóticas, incertas e dolorosas emocionalmente, evita concentrar a responsabilidade em si própria;
  13. Tende a ter momentos de depressão, e tenta previni-los através da agitação criada por um relacionamento instável;
  14. Não tem atração por homens gentis, estáveis, seguros e que estão interessados nela. Acha que esses homens "agradáveis" são enfadonhos.
FONTE


LEIA TAMBÉM:  

DEPENDÊNCIA EMOCIONAL, A TIRANIA INTERIOR - Cantares alheios (XVII)

A crise da fêmea - Cantares de Salomão (VI)

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

O fim dos céus e da terra (proteja-se e proteja sua família)



Imagine a seguinte cena, durante os próximos minutos:



"Mas o dia do Senhor virá como um ladrão. Os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ar­dendo, se desfarão, e a terra e as obras que nela há, serão descobertas. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas não deveis ser em santi­dade e piedade, aguardando, e desejando ardente­mente a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se dissolverão, e os elementos, ardendo, se fun­dirão?" (2 Pedro 3:10-12)



Coisa aterrorizante essa, em que os céus passam, com des­truição astronômica, e "elementos ardendo" (mencionados duas vezes), resultarão na liquidação do planeta Terra. Fico imaginando como isso ocorrerá. Sempre penso nisso. Tenho ouvido as mesmas coisas que você ouviu sobre guerras nu­cleares, super-atômicas, e mísseis nucleares, na Terceira Guerra Mundial. Contudo, nada disso explica "os céus passarão com grande estrondo" nem como a atmosfera circundante e a es­tratosfera poderiam ser "incendiados... e os elementos, ar­dendo, se desfarão."


Visto que tal catástrofe introduziria "o dia do Senhor", sem­pre alimentei reservas quanto a ele utilizar fogos de artifício humanos para anunciar sua chegada. Se estou lendo estes ver­sículos corretamente, eles descrevem uma força destrutiva tão espantosa e fenomenal, que faria nosso armamento demolidor parecer uma bombinha junina explodindo sob uma embalagem de lata, vazia. É impossível imaginar!


Entretanto, durante minhas leituras, vários anos atrás, de­parei com uma possível tecnologia destrutiva. Pode ser apenas uma pista sobre como o Senhor poderia estar planejando o disparo dessa explosão final.


Em 9 de março de 1979, nove satélites estacionados em vários pontos do sistema solar registraram simultaneamente um evento singular, no espaço infinito. Na verdade, foi a maior explosão energética jamais verificada. Os astrônomos que estudaram os acontecimentos ficaram estupefatos, falando sozinhos.


A explosão de radiação gama durou apenas um décimo de segundo... mas nesse breve instante emitiu tanta energia quanto o sol em 3.000 anos. Um astrofísico chamado Doyle Evans, que trabalha nos Laboratórios Científicos de Los Ala­mos, no Novo México, disse que a energia foi 100 bilhões de vezes maior que a emissão de energia do Sol. Se tal explosão de raios gama houvesse ocorrido na Via Láctea, teria incandescido toda a nossa atmosfera. Se o Sol, repentinamente, emi­tisse a mesma quantidade de energia, a Terra se vaporizaria instantaneamente.


E há mais. Os satélites foram capazes de assinalar o local da explosão: um ponto numa galáxia conhecida como N-49, que está associada aos remanescentes de uma supernova que se acredita ter explodido cerca de dez mil anos atrás. Quando uma estrela explode, transformando-se numa supernova, a casca externa se lhe desfaz de todo e o núcleo se condensa, em razão de sua própria gravidade, a fim de criar uma estrela de nêutron. Esse núcleo transforma-se numa esfera única, enorme, que se encolhe, partindo de um tamanho maior que o Sol (1.380.000 quilômetros de diâmetro) até chegar a uma bola compacta com não mais de 8 quilômetros de diâmetro. Estes nêutrons são tão incrivelmente densos que uma polegada cúbica (2,4 cm de lado) desse material pesa cerca de 10 milhões de milhões de quilos. Muitos astrônomos acreditam que os estudos proporcionados pelos satélites abrirão nova compreen­são das estrelas de nêutrons, e de outros fenômenos e objetos celestiais.


Antigamente, a atmosfera da terra havia impedido os astrô­nomos de estudar a radiação gama. Apenas em anos recentes a rede de satélites equipada com detectores de raios gama tornou possível aos cientistas localizar as fontes desses raios.


A despeito de nossa falta de conhecimentos, de nossa igno­rância quanto aos aspectos técnicos de tudo isso, sugiro que o que já sabemos pode lançar alguma luz sobre a validade das observações de Pedro. Pelo menos, segundo calculo, faz mais sentido do que meras guerras atômicas. É provável que a catás­trofe será mais ou menos parecida com o filme Guerra nas Es­trelas — mas eu não pretendo estar por aqui para assistir ao lançamento.


Todavia, não desprezemos a pergunta contundente de Pedro, no versículo 11. Ao enfrentar uma execução iminente, o velho pescador de face marcada pelo tempo contempla você e eu, através dos séculos. Você consegue perceber o olhar do após­tolo? Você consegue ver o interesse dele, delineado em marcas profundas, ao redor de seus olhos? Pode ouvir-lhe a voz sin­gularmente grave?


"Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em...?"


Já que este mundo e todas as suas obras se dissolverão um dia, num relâmpago convulsivo, que tipo de vida deveríamos estar vivendo nesta terra passageira, que logo se acabará? Que tipo de prioridades deveria formular nossos programas? Que tipo de considerações deveria planejar nossos passos, orientar nossa conversa e determinar nossa direção?


"Que tipo de pessoas vocês deveriam ser?" Esta é uma per­gunta que concerne a nosso caráter.


Pedro responderia sua própria pergunta no fôlego seguinte.



"... havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas não deveis ser em santidade e piedade, aguardando e desejando ardentemente a vinda do dia de Deus" (3:11)



Aquele dia, diz Pedro, deveria exercer tremendo impacto sobre o dia de hoje. Guarde seu coração de qualquer coisa que lhe possa trazer constrangimento, quando chegar aquele dia.



A Busca de Hoje

"Pois os olhos do Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito" (2 Crônicas 16:9). 


Muitas coisas ocorrem quando dispomos nosso coração a procurar Deus, incluindo nossa avaliação pes­soal. O seu coração pertence "completamente" a Deus? Es­colha uma área reservada e convide o Espírito de Deus para penetrar ali, e cavar, e conquistar novo território. Dirija suas orações, hoje, mais na direção da entrega do que na da defesa. Deus "apoiará fortemente" essa atitude: ele quer "mostrar-se forte" para com você. Libere!


Leia 2 Pedro 3.

Autor: Charles Swindoll

10 hábitos que mantém os casais felizes

Um site americano fez uma pesquisa para divulgar o que fazem os casais que se julgam felizes. Surgiu uma lista de 10 hábitos, que são consideravelmente gostosos de se cumprir. A maior parte consiste em comunicação e acessibilidade.
 
Vejam a lista e sigam esses bons exemplos!!!

 

1. Vá para a cama ao mesmo tempo

Lembre-se do início de seu relacionamento, quando você não podia esperar para ir para a cama com o outro para fazer amor. Casais felizes resistem à tentação de ir para a cama em momentos diferentes. Eles vão para a cama ao mesmo tempo, mesmo que um dos parceiros acorde depois para fazer alguma coisa, enquanto seu parceiro dorme.

 

2 . Cultive interesses comuns

Após a paixão se acalmar, é comum perceber que existem poucos interesses em comum. Mas não minimize a importância das atividades que vocês podem fazer juntos. Se os interesses comuns não estão presentes, o casal deve encontrá-los. Mas não se esqueça de cultivar interesses próprios. Isso irá te tornar mais interessante para o seu companheiro(a) e ao mesmo tempo impedir que ele(a) fique muito dependente de você.

 

3 . Ande de mãos dadas ou lado a lado

 
Ao invés um se arrastar atrás dos outros, casais felizes caminham confortavelmente lado a lado ou de mãos dadas. Eles sabem que é mais importante estar com o seu parceiro do que observar as coisas ao longo do caminho. Dê as mãos, nem que seja para chegar até o carro ou ir até a esquina.

 

4 . Adotem um padrão de confiança e perdão

 
Se casais felizes têm um desentendimento e, se eles não podem resolvê-lo, um padrão de confiança e de perdão é adotado em vez de desconfiar e ser relutante um com o outro.

 

5 . Valorize mais o que o seu parceiro faz certo do que aquilo que ele ou ela faz errado

 
Se incomodar com coisas que seu parceiro(a) faz errado é fácil. Agora, encontrar e evidenciar o que ele(a) faz de certo, é mais difícil, mesmo sendo algo importante e que melhora a relação. Trabalhe o positivo. Casais felizes acentuam sempre o positivo.

 

6 . Abracem-se, logo que vocês se encontrarem depois do trabalho

 
Nossa pele tem uma memória de “bom toque” (amado), “mal toque” (abusado) e “não toque” (negligenciado). Casais que dizem olá com um abraço mantém sua pele banhada pelo “bom toque”, que podem inserir seu espírito contra o anonimato no mundo.

 

7 . Diga “eu te amo” e “Tenha um bom dia” todas as manhãs, ou melhor, não se esqueça de dizer Eu te amo hoje!

Falar palavras doces é uma ótima maneira de amenizar aborrecimentos ao longo do dia, como engarrafamentos, longas filas, prazos apertados no trabalho. Dizer eu te amo e receber eu te amo todos os dias é uma forma deliciosa de lidar mais suavemente com o mundo.

 

8 . Diga “Boa noite”, todas as noites, independentemente de como você se sente

 
Independentemente de como você está chateado, estressado, ou como anda seu dia a dia, é importante fechar o dia com um sorriso e um boa noite. A felicidade entre você e seu parceiro deve ser maior do que qualquer incidente perturbador.

 

9 . Faça uma verificação de “tempo” durante o dia

Ligue para o seu parceiro em casa ou no trabalho para ver como seu dia está indo. Esta é uma ótima maneira mantê-los em sintonia antes mesmo de chegarem do trabalho. Por exemplo, se o seu parceiro está tendo um dia terrível, talvez você amenize isto, deixando-o entusiasmado com algo bom que aconteceu com você. Ou simplesmente ouvindo sua voz.

 

10 . Tenha orgulho de ser visto com o seu parceiro

Casais felizes têm o prazer de ser vistos juntos e muitas vezes estão em algum tipo de contato afetuoso – mão na mão ou mão no ombro ou joelho ou atrás do pescoço… Eles não estão sendo exibidos, mas sim apenas dizendo que eles pertencem um ao outro.


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Como Se Acalmar Durante um Ataque de Ansiedade

Criado por Paulo Ferreira, Ciccio Veronese, Rafael Bemerguy

Coração acelerado, náuseas, desconforto estomacal e tremores são alguns sintomas de um ataque de ansiedade. Os ataques de ansiedade podem ser assustadores – portanto, é útil saber que você pode limitá-los quando eles ocorrerem. Este artigo listará algumas técnicas que podem ser usadas para você se acalmar.


Reduzindo sua Ansiedade
  1. Prevent Anxiety Step 01.jpg
    1
    Pratique a respiração profunda. Caso esteja sofrendo de um ataque de pânico, é possível que você esteja começando a hiperventilar. Mesmo que não esteja, respirar profundamente pode ajudá-lo a reduzir o estresse e a fornecer oxigênio ao cérebro para aumentar o foco. Tente dar, no mínimo, 8 respiradas profundas por minuto. Demore 4 segundos para inalar, prenda a respiração por 2-3 segundos e demore outros 4 segundos para soltar o ar.
    • Se você estiver respirando rápido demais para começar a respirar profundamente, use um saco de papel pardo para desacelerar seu ritmo respiratório. Segure-o sobre sua boca enquanto respira, desacelerando a respiração progressivamente. Desacelere até poder começar seus exercícios de respiração profunda.
    • Continue a respirar profundamente por vários minutos até poder notar uma diferença em seu relaxamento muscular e na sua clareza de pensamentos.
    Anúncio
  2. Prevent Anxiety Step 11.jpg
    2
    Use diversões cognitivas. Se você estiver no meio de um ataque de ansiedade, distraia sua mente através de diferentes diversões mentais. Por exemplo, conte os números ímpares de 100 a 0, diga o nome de todos os presidentes do Brasil ou declame seu poema (ou canção) predileto. Force-se a fazer uma (ou várias) dessas técnicas até se acalmar um pouco.[1]
  3. Calm Yourself During an Anxiety Attack Step 03.jpg
    3
    Pratique o relaxamento muscular progressiva. Este é o processo de desacelerar através do corpo e de retesar e relaxar cada grupo muscular. Isso tem duas finalidades: lhe força a se concentrar em algo que não seja seu medo; e simultaneamente relaxa seus músculos. Comece com os músculos no rosto e vá descendo até ter relaxado todas as partes do corpo.
    • Retese o grupo muscular por dez segundos – em seguida, libere a pressão. Você pode fazer isso com o mesmo grupo muscular diversas vezes. Ainda assim, fazê-lo uma vez deve bastar.
    • Grupos musculares grandes que podem ser retesados e relaxados incluem: mandíbula, sua boca (carranca/relaxamento), braços, mãos, estômago, bumbum, coxas, panturrilhas e pés.[2]
  4. 4
    Tente “parar e substituir”. Este é o processo pelo qual você impede seus pensamentos produtores de ansiedade e substitui-os por reflexões que tragam felicidade ou paz. Por exemplo, se você estiver ansioso por conta de uma viagem de avião e não puder parar de pensar no que pode acontecer caso a nave caia, impeça tal pensamento imediatamente e substitua-o ao imaginar como serão suas férias com seus amigos.
  5. Calm Yourself During an Anxiety Attack Step 05.jpg
    5
    Use imaginação guiada. Pense num lugar em que você se sinta em paz e relaxado: poderia ser sua casa, seu ponto de férias predileto ou os braços da pessoa amada. Enquanto pensa nesse lugar, continue adicionando detalhes à cena, de maneira a focar toda a sua mente no campo da imaginação. Sinta-se livre para fazer isso com os olhos fechados ou abertos. Fechar os olhos pode facilitar o processo. Quando sentir que é possível pensar claramente na ansiedade, você pode parar a imaginação guiada.
  6. Overcome Social Anxiety Step 03.jpg
    6
    Reconheça sua ansiedade. Ainda que deseje reduzir a ansiedade que sente, você não quer ignorá-la. Reconheça que você está com medo. Analise o medo. É um perigo verdadeiro e presente? Provavelmente, você está usando declarações do tipo “e se?” e entrando em pânico com algo que ainda não aconteceu ou que mal pode acontecer. Compreenda que você está sentindo medo, mas que não há nenhum perigo. Retirar o perigo da situação lhe ajudará a relaxar um pouco.
  7. Get a Guy to Forgive You (for Girls) Step 01.jpg
    7
    Escreva seus sentimentos. Se você for suscetível a ataques de pânico, crie um diário para escrever textos que expliquem seus sentimentos. Escreva o que você sente, o que lhe causa medo e por que a ansiedade surgiu. Escrever lhe ajudará a focar seus pensamentos, e reler os textos poderá ajudá-lo a controlar melhor a ansiedade.
  8. Elevate Your Self Esteem Step 04.jpg
    8
    Faça algo. Sentar e ruminar sua ansiedade apenas piorará seu estado e dificultará a superação do pânico. Distraia sua mente e seu corpo ao realizar uma tarefa, ao limpar, ao desenhar, ao ligar para um amigo, enfim, ao fazer qualquer coisa que lhe mantenha ocupado. Preferencialmente, faça algo de que você desfrute como um hobby.[3]
  9. Get a Life Step 11.jpg
    9
    Use terapia musical. Crie uma playlist com suas músicas preferidas. Elas podem ajudá-lo a relaxar ou a se sentir feliz. Então, se/quando você tiver um ataque de pânico, escute as músicas e se acalme. Use headphones bons, que impeçam a intromissão de barulhos externos, para poder se concentrar apenas na música. Enquanto escuta, foque em diferentes instrumentos, no som e nas letras. Isso o(a) ajudará a parar de pensar em seus medos. [4]
  10. Avoid Stress for Your Day Step 06.jpg
    10
    Faça um pouco de exercício. Fazer com que seu corpo se ative libera endorfinas que são responsáveis pelo aumento da sensação de paz e de felicidade. Vá caminhar ou experimente um pouco de yoga; exercícios leves poderão lhe ajudar a relaxar mais que esportes agressivos ou treinos de resistência.
  11. Get Over a Relationship in Less Than a Week Step 02.jpg
    11
    Consiga ajuda de um amigo. Se você estiver entrando no mundo da ansiedade e não conseguir sair dele, ligue para um amigo ou membro da família e peça ajuda. Peça para que ele distraia você e analise seu medo para poder superar a sensação de estresse. Se você for suscetível a ataques de ansiedade, ensine aos amigos como eles devem agir durante uma crise sua. Assim, eles o compreenderão e poderão obter ajuda quando preciso. [5]
  12. Get Pregnant Quickly Step 07.jpg
    12
    Procure um terapeuta. Se você tiver ataques severos de ansiedade por períodos prolongados de tempo, visite um psicólogo local para obter terapia e conselhos. Você pode ter desordem do pânico ou desordem de ansiedade generalizada. Ambos os casos são normais e podem ser tratados por profissionais. Você também pode receber uma receita que indique medicamentos controlados para a ansiedade caso nenhum outro meio de controlar o pânico surta efeito. Anúncio

Dicas

  • Cante uma canção. Ela o(a) ajuda a respirar melhor e distrai você do terror de um ataque de pânico.
  • Se seu ataque de pânico piorar e você começar a vomitar, tome um banho quente com uma camiseta ou uma toalha sobre seu corpo. Isso o(a) fará se sentir confortável. Relaxe e descanse no banho pelo tempo que precisar. Não apresse as coisas após sair. O melhor conselho é dormir após terminar o banho.
  • Se você tiver um ataque de pânico tarde da noite, caminhe pelo quarto e respire profundamente.
  • Borrife óleo puro de lavanda misturado com água em um lenço. (Mantenha-o disponível no seu bolso) Os óleos na lavanda ajudam a pessoa a relaxar e a se acalmar durante ataques de ansiedade.
  • Exercite-se regularmente. Aprenda técnicas de relaxamento que sejam eficientes para reduzir o estresse. Durma por mais tempo – o sono é absolutamente necessário para quem sofre de ansiedade. Você nunca deve abrir mão dele de propósito.
  • Tente beber um copo de chá de camomila durante a noite. Evite cafeína, refrigerantes e nicotina – tais produtos são estimulantes.
  • Mesmo que isso seja óbvio para algumas pessoas, sempre se lembre de que sua família existe para apoiá-lo, amá-lo e protegê-lo. Não receie em contar seus problemas a eles, mesmo que isso seja embaraçoso.
  • Experimente diversas atividades para acalmar sua ansiedade.
 
 

Avisos

  • Se seu ataque de ansiedade durar mais que algumas horas, entre em contato com seu psicólogo ou seu médico para obter ajuda.

Fontes e Citações

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Petição






Para Lucila Ribas
 
Seria lícito solicitar aos céus morrer ao teu lado?
Poderia, amada minha, expressar esta vontade?
Ou, definitivamente, estaria tudo determinado:
Porque ao sol foi-lhe imposta a via que lhe cabe!

Todavia, se não me for dado mudar o encerrado,
Seja a cor desta linha ou a arte de tua tapeçaria,
Ao menos, dizer-te deste desejo que me invade:
Fenecer em meu leito, tendo a ti e ao teu beijo!

Ainda que eu não possa afastar de mim este cálice
- findar minha vida distando do calor de teu braço -
(Se é que me fora isto mesmo pelos céus reservado) 
Derramo em gotas de sangue este meu desagravo!

Confesso-te, Lucila, a minha oração de todo dia
Que aos céus eu faço, é uma petição de ousadia:
Não me importa do rompimento do cordão a hora,
Desde que eu esteja em teu colo como estou agora! 

Fábio Ribas
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...