Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

sábado, 30 de agosto de 2014

VAMPIROS EMOCIONAIS (proteja-se)



Vampiro, o nome já causa arrepios!

Imagine aquele ser lendário que segundo a crença popular sai de sua sepultura com aqueles dentes caninos enormes para sugar o sangue de suas vítimas, no caso, pessoas vivas, ou seja, você e eu.

Pois bem, os vampiros emocionais são aquelas pessoas com distúrbios de personalidade e que se manifestam através de disfunções emocionais e comportamentais.
 
São aqueles indivíduos inescrupulosos que vivem para explorar a boa fé do outro em benefício próprio e são altamente ególatras.
 
Não se deixe enganar, provavelmente ele não irá sugar o seu sangue, eles sugam a sua alma (a sua mente, a sua vontade e as suas emoções) e vorazmente devora a sua energia emocional.
 
Seja cauteloso, são lobos selvagens em pele de cordeiro, são pessoas inteligentes, boa fluência verbal, encantadores à primeira vista, mas entram em nossas vidas sem pedir licença e saem também da mesma forma pela qual entrou, deixando-nos exaustos, com uma terrível dor de cabeça, carteira vazia, coração em frangalhos, e por onde passam fica um rastro de prejuízo e lágrimas.
 
Identificou-se com isto? De nada adianta alho ou cruz de madeira, o melhor é deixá-los à distância, pois à menor proximidade, vão logo tomando as rédeas de nossas vidas (da conta bancária, da geladeira, do carro), adoram comidas gostosas e cadeiras espreguiçadoras, enfim amam as coisas boas da vida.
 
Vampiros emocionais são aqueles indivíduos que a priori parecem lindas borboletas voando à nossa volta, mas possuem uma terrível habilidade de se metamorfosear, uma vez que possuem grande força de vontade além da normalidade e estão sempre no controle das situações, mas veja só, é um vilão carismático, portanto todo cuidado é pouco.
 
Não se deixe iludir, vampiros emocionais têm sede é de sua energia e irá sugá-la até a última gota, se você permitir.
 
Imagine se você tem uma vontade tipo Maria-mole, está ferrada, o encantador vampiro que nem tem medo de sair à luz do dia, pois aparentemente nem é assustador e nem tenebroso, mas tem uns olhos “muito ótimo”, que não levantam a menor suspeita, irá exaurir a sua paciência até ao ponto de você ter uma crise  nervosa.
 
Pelo visto, você já está identificando aqueles seus vizinhos, colegas de trabalho, amigos, conhecidos ou parentes que só pensam em sugar suas emoções.
 
O que fazer? Arregace as mangas, e vamos às estratégias de defesa ou de prevenção. Quais? Você ainda não sabe? Mais pelo menos já identificou os possíveis vampiros emocionais? Já é um bom começo.
 
Olhe para os lados, pode até ter algum à sua espreita. Seu coração disparou? É sinal que você está pronto para lutar ou quem sabe fugir (pode ser uma boa estratégia). Aí vão as dicas de que você necessita:
 
Primeiro você deve tentar descobrir suas intenções, suas motivações, investigue o passado deles, preste muita atenção às suas ações, e não propriamente no que expressam através de palavras, e identifique como ele te hipnotiza com o seu charme quando quer algo.
 
Os vampiros emocionais são pessoas tóxicas, veja se não possuem algum tipo de vício ou compulsão (jogos, bebidas, drogas, sexo, comida) e se você perceber que não poderá ajudá-lo e conhecer os seus (é seu mesmo) limites, prepare-se para deixá-lo. Saia correndo!
 
Dissonância cognitiva é a capacidade que temos de torcer, distorcer a realidade para adaptá-la às nossas escolhas principalmente as escolhas que intuitivamente ou instintivamente sabemos que são erradas.
 
Fique ligado a esse princípio da psicologia e não seja tolo, a ponto de confundir suas emoções e burlar sua percepção em relação ao vampiro emocional que acaba de te telefonar propondo um negócio fabuloso. Todo o cuidado é pouco, pois os vampiros emocionais odeiam aceitar respostas negativas.
 
Mantenha o foco e o bom senso, e se for o caso prepare-se para brigar ou fugir, mas avalie se o perigo a ser enfrentado é maior ou menor do que você.
 
Seja racional, pense, nada de respostas impulsivas das quais se arrependerá mais tarde.
 
Vampiros emocionais não sabem adiar a gratificação, são regidos pelo princípio do prazer (imaturos emocionalmente), então você deve se guiar pelo princípio de realidade (viver segundo seus conceitos éticos), em hipótese alguma abrir mão de seus valores morais.
 
Seja firme, coerente com você mesmo, ignore acessos de raiva dos vampiros emocionais e permita que sua racionalidade o oriente em suas escolhas.
 
Então, você já sabe: rigidez, abusos, controle, impulsividade, hostilidade, irresponsabilidade, intolerância, imprevisibilidade, chantagem emocional, vingança, egoísmo, ciúmes infundados, lágrimas de crocodilo fazem parte do arsenal dos vampiros emocionais, e se perceber que não consegue lidar com eles, encaminhe-os para buscar ajuda profissional, pois tais vampiros são criaturas adoecidas e como tal necessitam de tratamento especializado.

Sempre haverá noite, mas vampiros emocionais saem à luz do dia. Cuidado, eles estão à solta!
 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Pastores Psicopatas (proteja sua família)


Uma das profissões que mais atraem psicopatas é a de pastor. Pelo menos, segundo os estudos do psicólogo Kevin Dutton, autor do livro “A Sabedoria dos Psicopatas: O que santos, espiões e assassinos em série podem nos ensinar sobre o sucesso”. Dutton conta que psicopatas nem sempre são pessoas conturbadas como muitos acreditam. “Quando psicólogos falam sobre o termo psicopatia, eles se referem às pessoas que têm um conjunto distinto de características de personalidade, que incluem itens como destemor, crueldade, capacidade de persuasão e falta de consciência e empatia”.

Geralmente, os psicopatas são dotados de charme, simpatia, carisma, capazes de impressionar e cativar qualquer pessoa com invejável destreza. Ninguém imagina que por trás de seu jeito educado, inofensivo e gentil se esconde alguém desprovido de consciência, capaz de atitudes cruéis e desumanas.

Um pastor psicopata assume uma personagem performática quando sobe ao púlpito. É capaz de encenar os papéis mais dramáticos como se estivesse num teatro. Em questão de segundos, transita entre a tragédia e a comédia, provocando lágrimas e gargalhadas com a mesma desenvoltura. Mas tudo não passa de fachada para disfarçar sua astúcia.

Não se trata de um louco varrido, mas de alguém que vive na fronteira entre a sanidade e a loucura, mas sem perder o controle.

Suas maiores habilidades são mentir, enganar, ludibriar, trair, sem sequer sentir-se culpado ou envergonhado. Trapaceiam, difamam, traem, abusam de autoridade, roubam, e sentem-se confortáveis com isso. A única coisa que não admitem é serem desmascarados. Não pela vergonha que passariam, mas porque isso os impediria de continuar enganando.

Cinicamente, se aproveitam da dor alheia para se locupletar. São verdadeiros predadores soltos na sociedade à procura de pessoas vulneráveis que caiam em sua lábia.

Psicopatas gostam de ser o centro das atenções. Por isso, sempre buscam oportunidade para roubar a cena. Querem estar em evidência a qualquer custo. Ainda que isso custe o sofrimento de outros.

Algumas das principais características do psicopata são:

1 – Carisma : Tem facilidade em lidar com as palavras e convencer pessoas vulneráveis. Por isso, torna-se líder com frequência. Seja na política, na igreja, no trabalho ou até na cadeia.
2 – Inteligência : O QI costuma ser maior que o da média: alguns conseguem passar por médico ou advogado sem nunca ter estudado para isso.
3 – Ausência de culpa : Não se arrepende nem tem dor na consciência. É mestre em botar a culpa nos outros por qualquer coisa. Tem certeza que nunca erra.
4 – Vanglória: Vive com a cabeça nas nuvens. Mesmo que a sua situação seja de total miséria, ele só fala de suas supostas glórias. É do tipo que come sardinha e arrota caviar.
5 – Habilidade para mentir : Não vê diferença entre sinceridade e falsidade. É capaz de contar qualquer lorota como se fosse a verdade mais cristalina. Algumas vezes acredita em sua própria mentira.
6 – Egoísmo : Faz suas próprias leis. Não entende o que significa “bem comum”. Se estiver tudo bem para ele, não interessa como está o resto do mundo.
7 – Frieza : Não reage com sinceridade ao ver alguém chorando ou sofrendo.
8 – Parasitismo : Quando consegue a amizade de alguém, suga até a medula.
Infelizmente, algumas destas características têm sido fartamente encontradas em líderes religiosos, vitimando milhares de pessoas com suas artimanhas.

Os pastores psicopatas se apresentam como líderes atenciosos, polidos, cheios de amor, porém, sua intenção é a pior possível. Por fora, sempre impecavelmente vestidos, beirando ao narcisismo. Por dentro, um trapo imundo. Por trás de seu carisma sedutor, um mentiroso contumaz, um manipulador calculista. Sempre agem prevendo a reação de quem pretendem vitimar. Para eles, a vida não passa de um tabuleiro de xadrez. Se alguém se puser em seu caminho, passam como rolo compressor, sem dó nem piedade.

Quem os vê chorar em suas performances de púlpito, não imaginam o ser frio que se esconde por trás daquela capa. Se flagrados, jogam com as palavras e os gestos para tentar inverter o jogo a seu favor. Sabem como se passar de vítima sem deixar rastro. Estão sempre cercados de cúmplices que se deixam ludibriar por seus convincentes argumentos, sendo capazes de colocar sua mão no fogo por seus líderes.

Cerque-se de todos os cuidados necessários. E não seja negligente com a sua família e aqueles a quem você ama. Todos podem estar correndo perigo. Ninguém jamais imaginou que Jim Jones fosse um psicopata que levaria mais de 900 fiéis ao suicídio de uma só vez. Portanto, antes de submeter-se a uma liderança, verifique seu histórico. Veja se tem o respaldo de sua família. Se não é adepto do emocionalismo barato e manipulador.

Uma palavra aos líderes: seja prudente e não se precipite em ordenar alguém ao ministério. Observe-o exaustivamente. Verifique sua conduta em casa e fora da igreja. Cuidado para não colocar uma bomba relógio em posição de liderança na igreja. As estatísticas dizem que um em cada 25 brasileiros se enquadra neste perfil psicológico. Então, não custa nada redobrar a vigilância.

Aviso aos pais: adolescentes são sempre mais vulneráveis a este tipo de liderança extremamente carismática, mas sem escrúpulo e compromisso com a ética. Procure saber a quem seus filhos estão seguindo. Há casos em que pastores jogam os filhos contra os pais, exigindo deles absoluta obediência.

Não seja cúmplice de um pastor psicopata. Se verdadeiramente se importar com ele e seu séquito, tente convencê-lo a buscar ajuda psicológica. Se ele se recusar, denuncie-o. Antes que seja tarde demais…

FONTE
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...