Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O Cântico dos Cânticos e a questão do Cânon - Cantares sobre Cantares (XI)

Na verdade, os envolvidos não duvidaram jamais que o Cântico dos Cânticos e Eclesiastes fossem textos muito especiais; o que os incomodava era saber se certos textos tornavam elas impuras por havê-los tocado. O problema surgiu de uma dificuldade simples. Nem o Cântico dos Cânticos e nem Eclesiastes continham a palavra de quatro letras [YHVH]. Assim, longe de estarem definindo um cânon, os especialistas estavam debatendo um problema delicado para os manipuladores dos textos. Se um texto especialmente admirado não continha o nome de quatro letras, continuaria ele ainda assim a ser tão especial que, como os outros que continham o tetragrama, obrigasse seu leitor a lavar-se e a purificar-se depois de encostar os dedos nele? Essas discussões prolongaram-se por séculos... (Robin Lane Fox).

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O averso - Cantares para ela mesma (XIII)




Para Lucila Ribas

Ainda que recostada sobre meu peito,
instaurada está a tua arcana distância:
a medida imensurável por excessiva!

Teu inaccessível pensamento,
o grito amortecido no silêncio:
a chave falsa que não te abre!

O manifesto que não me escreves,
a pedra em que lavro - sou ourives:
segredos revelados na noite escura!

O símbolo do corpo que não interpreto,
o código da tua alma que não te decifro:
as sombras claras nos meus olhos cegos!

O fugidio de tuas intenções anunciadas,
eternidade efêmera do segundo contido:
lírio branco que nasce e morre todo dia!

Incapaz de reter na rima a tez da tua vida,
descerra-se de todo meu poema o fracasso:
a condição secreta da minha palavra falida!

A pedra perfeita, da qual meu verso é arrancado,
é este teu mistério sincero que me deixa inquieto:
riso sério que mascara de teu furtivo o teu reverso! 

Fábio Ribas

sábado, 14 de janeiro de 2012

Blog Casal 20 de férias!

Queridos leitores do Blog Casal 20, chegou a hora de novos ares, portanto retornaremos somente em fevereiro ao blog, se Deus quiser. 

Mas o blog estará aberto a todos os que quiserem passear pelos nossos textos e nos conhecer um pouco mais. Assim, além das páginas que ficam ali em cima no blog, separamos abaixo uma série de links de posts antigos que falam um pouquinho mais de nós mesmos. 

Sinta-se à vontade para comentar. Dentro do possível, iremos publicando os comentários.

Abraços sempre muito afetuosos. 

 Fábio e Lu.

Sobre o Casal 20, leia:

Blog do Casal 20 - aniversário de 1 mês!
Casal 20 - Porque gostamos de viver perigosamente!
O Blog Casal 20 em recesso para trabalho!
Feliz Dia das Crianças - Muito obrigado a todos que sempre têm orado pelo bem das nossas filhas!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...