Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O Blog Casal 20 em recesso para trabalho!

Recesso para trabalho?! É isso mesmo! Estamos aproveitando as férias das nossas filhas para sairmos a um trabalho bem específico. Por isso, desde agora, estamos preparando nossa viagem. Ore por nós. 

O blog estará aqui, mas nós estaremos distantes em terras em que não há internet. Daí, "sumiremos" por um tempo. Contudo, esperamos em Deus regressarmos à blogosfera no início de agosto.

Até lá, fique à vontade para ler o nosso blog, ler nossos posts, conhecer-nos um pouquinho mais e, quem sabe, se apaixonar por este nosso cantinho. 

Abraços sempre muito afetuosos a todos os amigos, leitores, família, irmãos e blogueiros que nos acompanharem nestes primeiros 6 meses do Casal 20. Estaremos orando por todos e com muita saudade. 

Aos visitantes e amigos, queremos deixar esses dois vídeos (respostagem) que fizemos com muito carinho para celebrarmos nosso amor em Jesus. 



sexta-feira, 17 de junho de 2011

Por que ele contaria a verdade para você?



'...ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; 
quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira". Jo 8: 44b

Goostaria de dizer que muitos são os nossos inimigos e que, além do mundo e da nossa própria natureza totalmente depravada, há ele. E ele fará de tudo para nos afastar do amor de Deus.  

A música acima nos fala daquele que nos conhece muito bem e está conosco desde o início. Todavia, conforme nos alerta Paulo em sua carta aos Tessalonicensses, a atuação do nosso inimigo não se reduz apenas aos casos de possessão. Aliás, o método mais eficaz, porque sutil, é o da guerra cultural e creio que o vídeo (letra e imagem) mostra muito bem esse mistério da injustiça que já opera, esta batalha cultural que avança contra a imagem e semelhança de Deus em nós; o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. Estejamos atentos em vigília e oração.

Segue abaixo um esboço com alguns exemplo de como o nosso inimigo atua sutilmente e como temos sido destruídos por essa guerra cultural que ele engendra, mas, ao final desse esboço (é um estudo que elaborei em tópicos e que uso sob a forma de slides), quero lembrar que há esperança e a verdadeira igreja de Jesus se manterá em pé no Dia do Julgamento Final.

Espero que este estudo possa ser uma benção para você:

O mundo no limite: a postura cristã e os últimos eventos (II Tess. 2)

O mistério da iniquidade é uma mentalidade, uma cultura, uma cosmovisão diabólica, que tem transformado, mudado, alterado, profanado, subjugado e, até mesmo, conformado os valores cristãos aos valores deste mundo tenebroso e desorientado muitos dentro da própria Igreja!

A responsabilidade da Igreja:
...porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne (expressões humanas), e sim contra os principados e potestades (tiranos e exércitos espirituais), contra os dominadores (estrategistas de guerra) deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes...” Ef 6. 12

A vinda do Anticristo
Será marcada por dois eventos:
1) A operação do mistério da iniquidade;
2) A grande apostasia.
para a grande apostasia ocorrer, o mundo vive a operação do erro (o mistério da iniquidade), que leva os homens a darem crédito à mentira, conformando-os com este século (Rm 12):

1. Conformação à corrupção
Eu voto, porque ele rouba mas faz”!
Achado não é roubado!”
Pequenas igrejas, grandes negócios!”
Pastores algemados na tv!
Igrejas que não prestam contas do seus gastos!
Crentes que não ofertam os seus bens e nem suas próprias vidas!


2. A conformação à libertinagem
A lei para legalizar a prostituição;
A lei para legalizar a adoção de crianças por casais homossexuais;
O divórcio banalizado;
O casamento profanado;
A permissividade sexual;
Os escândalos sexuais de líderes evangélicos.


3. A conformação à ganância financeira
O objetivo de vida dos jovens americanos é “ficar rico”;
A fogueira é a dos Concursos públicos (ganância e insatisfação);
Você vale pelo que tem e não pelo que é”;
A roda da fortuna tem arrancado crentes de dentro da Igreja (II Tm 6. 9-10).

4. A conformação à violência e às drogas
A denúncia do filme “tropa de elite”: a hipocrisia de todos nós (a denúncia do usuário de drogas transformado em vítima);
A banalização do mal ( filme: “Onde os fracos não têm vez” → o filme aborda sobre quando o mal simplesmente não tem explicação)!

5. A conformação à descristianização do mundo
O avanço das religiões orientais;
A secularização através da música, imprensa, peças de teatro, livros, novelas, etc.
A descrença na Bíblia, em Deus e no Sagrado (já existem acampamentos para introduzir crianças ao ateísmo - EUA);
A igreja que se rende ao ateísmo prático (no dia-a-dia, agimos como se Deus não existisse);
Um cristianismo rendido (quebrando a moral judaico-cristã).

O mistério da iniquidade já opera
Estamos cada vez mais próximos da mega-apostasia, a negação ostensiva e globalizada da fé, que abre caminho para a revelação e o domínio do Anticristo.

Conclusão

Mas qual a postura cristã diante da operação do erro?

Fidelidade e firmeza do Eleito de Deus! (II Tess. 2: 13-17)

Quem se manterá fiel e firme durante a operação do erro?
Aquele que foi escolhido por Deus desde o princípio para a salvação;
Aquele que foi escolhido por Deus para a santificação do Espírito e fé na verdade;
Aquele que foi chamado mediante o evangelho, para alcançar a glória de Jesus Cristo.


Fidelidade e Firmeza: a expressão do caráter do eleito de Deus

  1. O eleito de Deus é um inconformado à operação do erro, à atuação do mistério da iniquidade.
  2. O eleito de Deus permanece firme;
  3. O eleito de Deus guarda os ensinos bíblicos;
  4. O eleito de Deus, além de inconformado, é confirmado em toda boa obra e boa palavra.

Abraços sempre muito afetuosos.

PS - CLIQUE AQUI, PARA PODER LER O NOSSO TEXTO NO BLOG DA RÔ: "MATEMÁGICA?!"

quinta-feira, 16 de junho de 2011

STF LIBERA MARCHAS "DA" MACONHA. Ministra diz que marchas não dizem respeito ao consumo. Então, para que serviriam as marchas, para propagar fumaça? (Blog laudaamassada)

Os ministros do STF descobriram a América ontem quando decidiram que marchas pela descriminalização da maconha podem ser realizadas, como defesa de uma ideia, sem poderem ser reprimidas pela polícia. Claro. Em tese, pode-se discutir uma ideia, pelos seus prós e contras, apenas como exercício argumentativo. Foi mais ou menos assim que argumentou a ministra Carmen Lúcia ao dizer que marchar pela maconha não diz respeito ao consumo.

Também acho isso: marchar pela maconha diz respeito ao seu não consumo. Os marchadores da maconha gostam de marchar contra a maconha. Então, no raciocínio da ministra, não fazem apologia. Eles só marcham para propagar as benesses do cânhamo. Aceitariam, tanquilamente, que a sociedade proibisse e criminalizasse o plantio e o consumo de maconha.

Mas já não é assim hoje? Sim. E os maconheiros aceitam? É claro que não. Então as marchas têm qual finalidade? Propor a descriminalização, mas isso não tem nada a ver com o consumo. É que é chato manter o consumo como algo criminos, só isso.

Larga do meu pé, chulé.

Os marchadores da maconha - o nome já implica em uma posição nítida a favor da maconha - permitiriam entre eles, nas marchas, os marchadores contra a maconha? Seguiriam todos juntos, pacificamente, como se estivessem em uma Ágora grega. 

Então, para o STF, marchar pode, mas isso já acontecia em algumas comarcas, mas fazer apologia não pode. À polícia caberá acompanhar, mas não reprimir. E se a marcha for nitidamente apologética e não argumentativa, com palavras de ordem, provocações como nas últimas de São Paulo?
Teremos de aguardar para ver o que acontece.

Há diferença entre defender a mudança da lei e fazer a apologia daquilo que a lei caracteriza como crime, em um estado democrático. Diz o Código Penal brasileiro:

Art. 287 - Fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime:
Pena - detenção, de 3 (três) a 6 (seis) meses, ou multa.

Se Marcha fizer apologia da droga, a decisão do Supremo não estará sendo seguida. 

Fico com o Reinaldo Azevedo: "pergunto, sem querer ser bruto: as pessoas podem se unir em defesa da pedofilia, desde que o façam de forma pacífica, desarmada e sem fazer a apologia do crime? Um conhecedor da Constituição logo diria: “Não! Isso transgrediria o Artigo 227 da Constituição, a saber”:

“Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”

Lamento!

Como diz Azevedo, "Se a liberdade de expressão e a liberdade de reunião garantem o direito de discutir “qualquer assunto”, como frisou o ministro Ayres Britto, por que não se poderia pedir a descriminação da pedofilia? Afinal, simplesmente debater não significa praticar… Ele acaba de reiterar: “É lícito debater qualquer tema”."

quarta-feira, 15 de junho de 2011

A DEFESA DA MACONHA E O AUTO-ENGANO (Velvet Poison)


Bastou dizer que o os defensores da liberação das drogas são hipócritas porque marcham na Paulista ou em qualquer grande avenida de qualquer grande cidade, mas nenhum deles, lindos, leves e bem-nascidos, pegam um viciado lá da Cracolândia, e o levam  para cuidar de seu vício DENTRO DE SUAS CASAS... Bastou dizer que os defensores da marcha da maconha não passam de um bando de inúteis, com tempo demais por falta do que fazer, uma geração sem causa, sem objetivo, sem conteúdo, sustentada pelos pais até os 30 anos, e depois dos 30, entram em alguma ONG, sindicato ou similar, passando aí a serem sustentados por dinheiro público. Bastou dizer que esses logo se candidatam a qualquer coisa em nome de algum "movimento social" e daí serão sustentados efetivamente pelo estado (ou seja, pelo dinheiro do impostuinte), para soltarem os pitt-buls da fumaça esquerdistamente onanista na timeline do Twitter, acusando quem é contra esse oba-oba, que ainda por cima prega o uso de substâncias ilícias, de ser preconceituoso.

Esse aqui, mereceu destaque. Porque levou dez segundos a mais que os outros a desistir de me trollar, para cair na besteira de me oferecer um baseado, e porque fez isso usando um avatar com uma CRIANÇA NO COLO. Significa? 


Em nome da "liberdade de expressão", conforme já prevíamos muitos de nós, agora é a vez dos maconheristamente onanistas exercerem seu sagrado direito de cumprir a escrita da estupidez inerente: fazer bobagens. Inclusive, apologia ao uso de drogas, o que, pensava eu, seria crime. Não nestepaiz que o PT erigiu no lugar do Brasil. 

Ocorre que essa que vos fala, não é nada politicamente correta, mas aceita muito bem o que é LEI. Não aceita cabresto do marketing do comportamento imposto pela doutrina totalitária que grassa por toda parte nestepaiz, inclusive nas escolas e universidades. E nunca teve medo do PT e do que sua gente representa. Quem já esteve cara-a-cara com a presidente destepaiz, a própria encarnação da Besta (não tinha grampeador nas mãos, na ocasião, ainda bem) não pode temer nenhum reles amador.

Falo desde sempre: se você não tem alto cargo de alto escalão dentro da estrutura do PT ou do desgoverno, não tem credenciais para se dirigir a mim. Perda de tempo sua me trollar. Meu salto 15 Louboutin (né, Carola?) não é para o bico da ralé. Só ganha a atenção do meu Veludo, e se tiver sorte, um pouco do meu Veneno, gente graduada, do tipo Erenice, Berzoini, Pimentel, Zé Dirceu.... entendeu?

Branca, CRISTÃ, HETEROSSEXUAL, alfabetizada, pagadora de impostos, consumidora compulsiva de LIVROS (uma ofensa para a esquerda) e música, cozinheira de mão e panela cheias, mulher, dona de casa que passa uma camisa de homem como poucos têm o privilégio de vestir, sei cantar sem desafinar, assisto FUTEBOL, inclusive europeu, flamenguista, uso batom e esmalte vermelhos, desprezo José Sarney, dirijo acima de 100 km/h mas se vier multa (nunca veio) pago sem reclamar, (quase) loira (é recente, gente, estou me acostumando, poucos me viram assim...rs), LINDA, e com um baita senso de humor, eu os compreendo. Mesmo. Tudo isso, junto, é muito pra vocês. Em inglês, que vocês detestam: too much! 

Nota da Redação: se você, esquerdinha de plantão, é pobre, do tipo que ao invés de usar um isqueiro S.T. Dupont para acender seu baseado, usa um BIC (porque petralha graduado, tipo Palocci, com fortuna, sabe bem...)  não sabe "o que é" Louboutin, e não faz ideia do que significa ser onanista (adorador de Onan) faz um Google que passa! Ah, sim. Não deve saber o que é S.T. Dupont também. São Google na causa, meus filhos!

Nota da Redação 2: sim, eu poderia ter escrito algo bem sério sobre isso, porque é muito sério o fato de usarem o pretexto da falta de liberdade de expressão (que não há no Brasil pós-85) para fazer apologia ao uso de drogas, inclusive por um suposto inocente útil com uma criança no colo. Isso é grave, na verdade. Falarei, sim, com a gravidade que isso requer. Profundamente, em breve.
 

Davi - Cantares da Felicidade (X)




Provai e vede que o Senhor é bom;
bem-aventurado o homem que nele confia.
Sl 34:8


Davi, você compreende bem a benignidade de Deus em meio às adversidades, não?

Davi, sua vida foi um risco à dinastia de Saul, por isso ele quer matar você. Há inveja, ciúme, rancor também. Saul já se levantou e lança agora seus dardos e setas contra você, Davi! Você precisa fugir, esconder-se, fingir-se de louco, exilar-se... Mas e todas aquelas promessas que foram feitas? Fora dito que Deus estava ao seu lado. Você foi ungido pelo profeta Samuel. O povo admira a sua ousadia, sua liderança, sua coragem, Davi. Derrotado foi o gigante Golias! Agora, depois de tudo, você tem que proteger sua vida se refugiando dentro de uma caverna... Davi, aonde está a bondade do seu Deus?

Deus é bom! Deus é bom! Deus é bom! - é a declaração da fé de dentro da caverna de nossas idiossincrasias. Deus é benévolo, bondoso, complacente, generoso, propício, benéfico, suave... É possível declarar tudo isso sobre Deus de dentro de uma caverna? Lá de dentro de nossas cavernas, quando estamos acuados, assustados, incapazes de reagir! O que você fará, Davi? Você precisa preparar seu plano de vingança! Lutar, reunir o povo, derrubar as instituições e tomar de assalto o que lhe é seu por direito divino! Veja: é o rei Saul quem está ali, sentado, desapercebido da sua presença, como será fácil matá-lo. Parece ser um momento criado por Deus para que você resolva o seu destino com suas próprias mãos, uma ocasião arquitetada por Ele para que você mesmo faça cumprir as promessas que lhe foram feitas... Todavia, você não o mata, Davi! Você não subverte essa realidade, não revoluciona essa sorte, não avança contra aquele que também é um ungido do Senhor. 

Conhecer que Deus é bom em quaisquer circunstâncias, quem já viu essa felicidade? Deliciar-se com a benignidade da aliança de Deus, regalar-se diante do banquete da salvação servido pelo próprio Deus, extasiar-se frente à misericórdia e amor divinos – quem já foi feliz assim? Davi lembrava de que ele era apenas uma criança quando o profeta Samuel foi a sua casa e o ungiu diante de seu pai e de seus irmãos. Logo ele, um simples pastorzinho de ovelhas! O que fizera a Deus? Quais sacrifícios, que misericórdias, quais obras, que méritos poderiam ter impressionado Deus ao ponto do reinado ser prometido às suas mãos? Mas não havia respostas em Davi. Quais fossem as perguntas, as respostas sempre insistiam numa única direção: a gratuidade da bondade de Deus!

Deus é bom. Davi se deparara com a bondade de Deus e, agora, respondia a ela com temerosa reverência. Ele havia conhecido a bondade de Deus, então era preciso agora confiar nas promessas que deveriam se cumprir em tempo oportuno e da maneira que Ele quisesse. 

Sim, Davi experimentou e viu que a caverna é apenas uma circunstância, mas a felicidade é a eterna intimidade com Deus.

terça-feira, 14 de junho de 2011

MEZINHA (Paulo Adão)

Para conhecer mais da obra deste escritor, clique aqui!

MEZINHA

Os versos são para mim analgésicos  
se sinto uma dor 
uma dor que sinto esquisita  
assim, de repente, aflita  
sem hora para doer essa dor
 
Uso sempre a mesma receita tinta, 
papel, palavras, rima, tema 
como chá de ervas, mezinha  
começo a tomar, linha por linha  
a dor vira verso, estrofe, poema
 
Noites há, com esse mal  
que passo em insônia sofrida  
arrastando pela casa versos sem sal 
E a minha cabeça aturdida 
pelo torpor dessa dor

Se expulso essa dor no papel  
alívio o meu corpo e durmo 
mas durmo em vigília !
 
(Paulo Adão)
 
 
Paulo Adão foi embora recentemente, mas nos deixou seus escritos, os quais descobri por causa de seu irmão, o Cacá, do "UAI, Mundo? O blog do CACÁ". Cacá prestou linda homenagem ao irmão falecido, trazendo-nos lindos textos, mas, aí, descobri também o "Recanto das Letras", ninho de outros tantos escritores. 
 
Deixo aqui essa "mezinha" de Paulo Adão, porque sei que toda dor necessita de um remédio. O fato é que ao tomarmos alguma "mezinha", em alguma hora da noite ou do dia, a dor termina por se traduzir em versos e ficamos com as tais letras e palavras, expurgos dessa dor, mas que outros as tomarão, mais cedo ou mais tarde, e as amarão ou não, se alegrarão ou não, mas que são a nossa própria alma entregue nas mãos de estranhos... 
 
Creio que todo escritor espera ser lido. Já compreendido é outra história! Cada autor exige um público definido, assim como cada um escolhe um amigo. E como nos dizia o Santo Tomás de Aquino: amigo é quem gosta das mesmas coisas que gostamos e detesta as mesmas coisas que também não gostamos. 
 
Os poetas tendem a cultivar o Belo, a Verdade e a Justiça contra o anjo torto da maldade.
 
Este post de hoje é uma homenagem ao Paulo Adão, poeta de Minas Gerais.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O sermão do padre no casamento (Mario Quintana)

"Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento na igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas a única coisa que me desagradava era o sermão do padre: "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?”  Acho simplista e um pouco fora da realidade.

Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?

- Promete saber ser amiga (o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?
 
- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?
 
- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e, portanto, a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?
 
- Promete se deixar conhecer?
 
- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?
 
- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?
 
- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?
 
- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?
 
- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros".

Mario Quintana

Escolha o seu amor.
Ame a sua escolha!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Ao teu nome - Cantares para ela mesma (VIII)


Para L.R.

Luzinha nas costas de uma abóboda celeste,
estrela acesa e clara só por ver que tu vieste.

Farol luminoso que parte a treva que invade:
resgate de um sol vigoroso que sempre arde.

Pequenina luz é o que teu nome significa:
fogueira que queima na noite de uma ilha.

Fulgor sobre estes versos que deixo aqui:
evidências do meu amor iluminado de ti! 

F.R.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Pequena dica do Blog Casal 20 para o Dia dos Namorados



 

Você Não Me Conhece

Você me dá sua mão
E então me diz olá
E eu mal posso falar, meu coracão está batendo tanto
E qualquer um pode dizer, você pensa me conhecer bem
Mas você não me conhece
Não, você não conhece a única
Que sonha com você toda noite
Que beijava longamente seus lábios, longamente te abraçava apertado
Oh, eu sou apenas uma amiga, isto é tudo que eu tenho sido
Porque você não me conhece
Eu nunca conheci a arte de amar
Embora meu coração caia de amores por você
Tímida e com medo, eu deixo minha chance ir
A chance de você poder me amar também
Você me dá sua mão, e então você se despede
Eu assisto sua partida ao lado da garota sortuda
Você nunca conhecerá, quem te ame tanto, porque você não me me conhece

Você me dá sua mão, e então você se despede
E assisto sua partida ao lado da garota sortuda
Você nunca conhecerá, quem te ame tanto, porque você não me me conhece
Oh, não! Você não me conhece
Você não me conhece.

Dica do Blog Casal 20 para o Dia dos Namorados:

Será que ele(a) sabe quem você é? Revele-se! Antes que o sortudo(a) seja outro(a)...



terça-feira, 7 de junho de 2011

"Felicidades" - Cantares da Felicidade (IX)

Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor,
e o povo que ele escolheu para a sua herança.
Sl 33:12

Afinal, o que faz você feliz? 

Os filósofos antigos acreditavam que a filosofia seria a fonte da felicidade. O encontro de Israel com o mundo helênico e, posteriormente, o encontro da patrística com a filosofia clássica são marcados por uma tensão entre a fé e a razão como caminhos possíveis para a felicidade. Atração e retração marcam esse encontro. Para muitos, “apenas a fé” não basta. A filosofia clássica poderia levar ao conhecimento correto e exato de Deus e, assim, à felicidade. As propostas, mais uma vez, são duas: a felicidade ou como conquista da psique ou como dádiva divina - qual das duas? Em outras palavras, o eudemonismo como a chave para a realização do ser humano ou a Graça de Deus: separação ou síntese?

Os filósofos gregos – Aristóteles, Platão e Sócrates – concordaram que a felicidade é o bem supremo do homem. Todavia, o que é felicidade, os meios para se alcançá-la e o que a mensura são discussões entre eles e ainda entre muitas outras escolas filosóficas. Virtudes morais e civismo surgem como exemplos dessas discussões. Aristóteles conclui que não são aspectos, momentos, instantes, mas o resultado de uma vida inteira que definiria o alcance da felicidade. Num mito, Platão faz com que Sócrates nos apresente que é o destino da alma depois da morte, e não o que fazemos aqui por meio do corpo, o que determinaria a felicidade ou infelicidade de alguém!

Felicidade, enfim, esse bem precioso, é apresentada pelo salmista num brado de vitória. Essa alegria que irrompe ao nos depararmos com o Criador que nos escolheu, o Deus que manifestou a sua aliança e nos deu o presente da salvação. A alegria que se expressa no louvor, no cântico, na música, nos instrumentos, na arte, comemorando a vitória de Deus sobre nossas próprias vidas. 

Israel por diversas vezes conheceu essa alegria, esse júbilo! Israel sabia que a bem-aventurança da nação residia em que eles eram a alegria de Deus - a menina dos olhos do Senhor! Sim, havia no meio da congregação um povo que respondia a Deus com temor, que é a fé operando resposta ao Deus que se revela ao homem. Deus veio em direção a Israel e o tomou em Seus braços e fez dele Sua herança. Em Deus, há misericórdia, livramento e proteção. Deus se aproximou do Seu povo e lhes revelou que, no temor a Ele, há verdadeira felicidade. E que a alegria nasce da intimidade com Deus, o Deus da revelação.

A filosofia, portanto, nesse sentido, apresenta-se como mais um discurso religioso na busca pela realização humana que só pode ser plena no Ser de Deus. Entretanto, a Israel foi revelado que a felicidade não está na procura humana, na virtude, no hedonismo, ou no civismo tão simplesmente, mas, antes, a felicidade está em sermos encontrados pelo próprio Deus! Em outras palavras, feliz não é a ovelha que tenta retornar ao aprisco perdido, mas aquela que se descobre encontrada pelo bom pastor. 

A verdadeira felicidade, a bem-aventurança, essa alegria inefável só é possível para aqueles cujo Deus é o Senhor.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

PLC 122/ 2006 - HORA DA UNIDADE (Rev. Obedes Jr.)

Após a decisão tomada pelo Supremo tribunal Federal sobre a “criação” de uma nova lei, contrária à nossa constituição, que declarou como união estável qualquer relação homoafetiva, muitos estão “saindo do armário”, mas a Igreja de Jesus Cristo resolveu “sair do Saleiro”.
 
Foi lindo o que vimos na quarta-feira, dia 01 de junho de 2011, na Esplanada dos Ministérios em Brasília. Igrejas de inúmeras denominações e de diversas partes do país, pastores de todos os lados juntamente com os deputados evangélicos, que até então foram criticados por todos exatamente por permanecerem omissos às decisões do governo, estavam juntos em um só objetivo, o de manifestar o  posicionamento no que diz respeito a princípios bíblicos em relação à família e acerca dos direitos que temos como cidadãos.
 
Creio que a esta tarde marcou o momento em que não só a igreja, mas a frente parlamentar evangélica, que ao verem aquela multidão de pessoas em uma unidade santa, tomaram coragem e saíram do saleiro, como sal da terra que todos são.
 
Muitos textos foram citados entre eles o de Jo 17. 21 que diz: “a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em Ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que Tu me enviaste.” Um momento de unidade em torno do que Deus é em nós e da convicção que temos na Palavra santa do nosso Deus.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 De acordo com o jornal Correio Brasiliense, edição do dia 02 de julho, vinte mil pessoas estiveram presentes à manifestação, mas há controvérsias sobre este número. Possivelmente havia o dobro deste número estimado. O mais importante, no entanto, foi a convicção nos princípios bíblicos contemplada naquele momento em cada irmão ali presente.
 
Mas a pergunta que deve ser feita neste momento é: Qual a melhor forma de protesto da Igreja de Jesus? Como disse o Pastor Silas Malafaia organizador desta manifestação pacífica: “Se não nos respeitarem estaremos aqui novamente”. Creio que as passeatas ou repúdios ou mesmo as grandes manifestações não serão suficientes, apesar de serem necessárias também em alguns momentos.
 
Acredito, portanto, que o “grito” maior da população evangélica do Brasil é a oração, é o clamor aliado a uma vida de confissão e quebrantamento.
 
A Palavra nos instrui desta maneira: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.” II Cr 7. 14.
 
A IPN está convocada para esta manifestação legítima, os presbiterianos da mesma forma, mas se todas as denominações e todos os evangélicos do Brasil se unirem em clamor ao Pai na mediação de Cristo Jesus, então estaremos protestando de forma correta e poderosa.
 
“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor (...) dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda a piedade e respeito.” I Tm 2. 1 – 2
 
Rev. Obedes Jr.

sábado, 4 de junho de 2011

O Manifesto de Brasília sobre Liberdade de Expressão







Um Manifesto sobre Liberdade de Expressão foi entregue ontem, em Brasília, aos senadores e deputados que formam a Frente Parlamentar Evangélica. O Manifesto foi elaborado por um grupo representativo de instituições de ensino confessionais e de igrejas evangélicas. A iniciativa foi da ABIEE (Associação Brasileira de Instituições Educacionais Evangélicas) que usou como ponto de partida a Carta de Princípios do Mackenzie sobre liberdade de expressão e outras manifestações e documentos sobre o mesmo assunto publicadas por igrejas e instituições de ensino. O Manifesto foi entregue pelo presidente da ABIEE ao deputado João Campos, líder da Frente Parlamentar durante reunião ocorrida no Auditório Petrônio Portela no Senado Federal.

As entidades e igrejas que assinaram o Manifesto congregam aproximadamente 8 milhões de pessoas, entre alunos, professores e membros. O teor do Manifesto está abaixo.

MANIFESTO EM FAVOR DA LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA E DE EXPRESSÃO

"Não concordo com uma só palavra do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-lo!" [Voltaire]

Tendo em vista a tramitação no Senado Federal do Projeto de Lei da Câmara nº 122/2006 (Projeto de Lei nº 5003/2001), que criminaliza toda e qualquer manifestação contrária à orientação sexual da homossexualidade,

ENTENDEMOS QUE que:

vivemos numa sociedade multicultural e plural em que a liberdade é um dos principais pilares de sustentação;
a liberdade só é possível se houver a concretização da liberdade de consciência e de expressão;
a liberdade de consciência tem a ver com o que cada indivíduo crê interiormente, enquanto que a liberdade de expressão é a manifestação externa dessas crenças;
o Artigo 5º da Constituição, em seu caput, afirma que todos são iguais perante a lei, sem distinção de quaisquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade;
neste mesmo artigo, ao tratar dos direitos e garantias fundamentais, a mesma Constituição afirma que (IV) é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; e que (VI) é inviolável a liberdade de consciência e de crença ...
a Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948 expressa em seu Artigo 18 que todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião ... e no Artigo 19 que toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras;
se todos são iguais, todos, sem distinção, podem expressar privada e publicamente suas ideias, pensamentos e crenças, declarando o que acreditam e os motivos pelos quais acreditam de determinada forma e não de outra, desde que os direitos dos outros sejam respeitados;
não deve haver discriminação contra qualquer pessoa e suas escolhas individuais;
o próprio texto do projeto original do PLC 122/2006 (nº 5.003/2001) salienta que a orientação sexual é direito personalíssimo, atributo inerente e inegável à pessoa humana ... Trata-se de respeitar as diferenças e assegurar a todos o direito de cidadania ... Nossa principal função como parlamentares é assegurar direitos, independente de nossas escolhas ou valores pessoais. Temos que discutir e assegurar direitos humanos sem hierarquizá-los. [grifo nosso]

Neste sentido, DECLARAMOS QUE:

o referido Projeto de Lei da Câmara 122/2006, ao tornar crime manifestações contrárias à homossexualidade, incita à discriminação ao promover a censura da consciência e da expressão, promove a violência defendendo a liberdade para uns e suprimindo a liberdade para outros, desprezando o que é conhecido no Direito como “princípio do contraditório e da ampla defesa” [audiatur et altera pars - “ouça-se também a outra parte”] que é a liberdade de análise e posicionamento contrário às expressões ou manifestações de outras pessoas em qualquer área da vida;
na democracia a liberdade que se expressa por intermédio dos valores individuais e mesmo de segmentos da sociedade não pode privilegiar o direito de liberdade de consciência e de expressão de uns em detrimento ao direito de outros;
não é possível concordar com qualquer lei que maximize direitos a um determinado grupo de cidadãos e, ao mesmo tempo, minimize, atrofie e faleça direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna da Nação e pela Declaração Universal de Direitos Humanos.

Sendo assim,

MANIFESTAMOS nossa posição contrária a qualquer forma de violência e discriminação contra o ser humano, afirmando, por um lado, o respeito devido a todas as pessoas independentemente de suas escolhas sexuais, e, por outro, afirmando o direito da livre consciência e expressão de cada pessoa;

CONCLAMAMOS os representantes do povo no Congresso Nacional que se posicionem a favor da ampla liberdade de consciência e expressão de todos, sem distinção e discriminação, rejeitando qualquer dispositivo que promova a censura e amordacem a liberdade e o direito individual de consciência e livre expressão; e,

CONCLAMAMOS as demais instâncias da República, cidadãos e líderes de instituições sociais, que se unam em defender o respeito à pessoa e a garantia dos direitos individuais, preservando a liberdade de consciência e de expressão de cada um e de todos, sem que se privilegie qualquer segmento de nossa sociedade, o que ameaça a democracia, patrimônio de todos.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Esta foi sua vida

Apropriei-me deste livreto no Blog Palavra e Teologia do Pastor Charles Maciel Vieira. 

Achei uma ótima divulgação do Evangelho via mídia digital.

A minha oração é que você invista nessa leitura e ore a Deus.

Abraços sempre afetuosos a todos os leitores do nosso Blog!




PS - Visite e leia também o texto que postamos lá no blog da Rô: "Olhando-nos com os olhos de Omodo" (basta clicar aqui).

quinta-feira, 2 de junho de 2011

São demais os perigos dessa vida para quem tem paixão - Cantares de todos nós (VIII)


 O filósofo David Hume dizia:

- A razão é escrava das paixões!

Mas, a Caim, Deus há muito já exortara:

- Cabe a ti, dominá-las!


video

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Diálogo com... (Velvet Poison)


Há alguns dias ando encasquetada com você. Explico, a seguir.

Sempre tive grande consideração pelo que você personifica. Tanta, que nunca abro mão de sua companhia. Você sabe bem disso,  tem estado comigo dia e noite. Prefiro que seja dura, seca, única. Mas seja sempre você. Gosto de você como é, sem enfeites, sem firulas, sem fitas nem gracejos. Aliás, você só é você, integralmente, se não tiver nada disso. 

Zelo por você. Cuido, conservo, acolho, abrigo, acalento e mimo. Sim, eu mimo você pois sinto grande necessidade de te conquistar, o tempo inteiro. Mas não basta a conquista, preciso manter você comigo. Então, sim, eu mimo com prazer. Gosto de mimar quem conquisto.

Não é todo mundo que vai com sua cara. Muitos fogem de você como o diabo foge da Cruz banhada com água benta. Aí vem aquele grande problema: esses não admitem que você existe, e duvidam que você possa permanecer junto de quem quer que seja. Não sei se esses são mais interessantes, sedutores, ou pessoas mais fáceis de lidar, do que eu. Sei que você anda caindo nos galanteios dessa gente, não é? E tem fugido, escapado, se escondido. 

O que mais vejo por aí é seu oposto. O inverso, de cabeça pra baixo, e revirado, de dentro para fora. Avesso do avesso virado do direito. Isso é anti-natural, ao meu ver. Mas é uma das preferências nacionais, agora. Quase obrigação. Quase uma instituição. Ei, aliás, está virando lei, inclusive! Aqueles que não te querem, exatamente por temer o que você representa, precisam garantir sua ausência total. Porque quem te procura, corre o risco de te encontrar.... É, sei que dar de cara com você é bem para os fortes. 

Bem, vamos aos "finalmentes": há gente, dentre muitos com que sou obrigada a conviver, que mesmo sabedo o quanto te prezo, finge não te ver comigo. É aquela velha história.... medindo-me pela própria régua. Paciência. Perco menos do que perde esse. Há outras situações em que, supostamente em seu nome, outras gentes usam justamente o seu oposto, para me confrontar, constranger, intimidar. Ah, sim, claro, e me fazer desistir. Olha, desistir tem sido tentador, porque lutar por você, absoluta e firme, não é tarefa fácil. Ando cansada. Muito cansada. Mas enquanto não desisto, deixo para o fim,  não significando que seja menos importante: agora é moda a negação de sua relevância dentro das relações da sociedade, como um todo. Já percebeu isso, também? E aí,  já viu o que aqueles que nos desgovernam fazem com você? E nem vermelhos, de vergonha, ficam? Pois é. Negação total. Isso é meio desesperador, porque tem a ver com a destruição total dos valores morais que nos nortearam, sempre. 

É por isso que te escrevo. Não sei mais o que fazer. Temo que, assim como hoje, pela manhã, acordei pensando em você, chegará o momento em que não serei mais capaz de te reconhecer. Sim, eu tenho medo. De olhar para o espelho e não ver os sentimentos que não demonstrei. Não saber das alegrias que não causei. Da dor que não senti. Temo esquecer os textos que não escrevi, os fatos que não contei, e de não reconhecer a vida que não vivi. Se você se tornar fraca, temo não sentir aquela conhecida solidão que nunca recusei, nem me lembrar daquele sonho que tive e não acordei, no meio, porque não dormi, mesmo. 

Se você continuar acuada, envergonhada, temo não encontrar as desculpas que não pedi. Temo desaprender a falar o que não é comum, ou pior, calar sempre que falar, em nome do que for comum. E daí, ouvirei a ausência de gritos, sem bater a mão na mesa. Pior, não virarei mais nenhuma mesa. Com você diminuída, me faltarão as pragas que não roguei, todas as culpas que jamais senti, desaparecerão os sorrisos que dei, os abraços que distribuí. E tudo o que não valeu a pena - e olhe,  acumulo grande experiência em coisas que não valem a pena - terá sido inútil:  abri mão de tudo, deixei de fazer tudo, desisti de encontrar qualquer coisa boa, dentre as coisas boas que todo mundo encontra, por sua causa! Foi em seu nome que ousei não ser, não ter, não saber, não experimentar, não viver. 

Faça o favor... resista. Prometo, a partir de agora, tentar encontrar alguém que goste tanto de você quanto eu. E assim, não seremos mais só nós duas, sozinhas em meio a esse deserto de coisas iguais. Talvez encontre, talvez não. Mas começarei a procurar, já, agora. Vamos perguntar, quem sabe....bem, quem sabe, teremos companhia?

Alguém aí topa ser apresentado, e passar a conviver, com a verdade? 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...