Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

terça-feira, 14 de junho de 2011

MEZINHA (Paulo Adão)

Para conhecer mais da obra deste escritor, clique aqui!

MEZINHA

Os versos são para mim analgésicos  
se sinto uma dor 
uma dor que sinto esquisita  
assim, de repente, aflita  
sem hora para doer essa dor
 
Uso sempre a mesma receita tinta, 
papel, palavras, rima, tema 
como chá de ervas, mezinha  
começo a tomar, linha por linha  
a dor vira verso, estrofe, poema
 
Noites há, com esse mal  
que passo em insônia sofrida  
arrastando pela casa versos sem sal 
E a minha cabeça aturdida 
pelo torpor dessa dor

Se expulso essa dor no papel  
alívio o meu corpo e durmo 
mas durmo em vigília !
 
(Paulo Adão)
 
 
Paulo Adão foi embora recentemente, mas nos deixou seus escritos, os quais descobri por causa de seu irmão, o Cacá, do "UAI, Mundo? O blog do CACÁ". Cacá prestou linda homenagem ao irmão falecido, trazendo-nos lindos textos, mas, aí, descobri também o "Recanto das Letras", ninho de outros tantos escritores. 
 
Deixo aqui essa "mezinha" de Paulo Adão, porque sei que toda dor necessita de um remédio. O fato é que ao tomarmos alguma "mezinha", em alguma hora da noite ou do dia, a dor termina por se traduzir em versos e ficamos com as tais letras e palavras, expurgos dessa dor, mas que outros as tomarão, mais cedo ou mais tarde, e as amarão ou não, se alegrarão ou não, mas que são a nossa própria alma entregue nas mãos de estranhos... 
 
Creio que todo escritor espera ser lido. Já compreendido é outra história! Cada autor exige um público definido, assim como cada um escolhe um amigo. E como nos dizia o Santo Tomás de Aquino: amigo é quem gosta das mesmas coisas que gostamos e detesta as mesmas coisas que também não gostamos. 
 
Os poetas tendem a cultivar o Belo, a Verdade e a Justiça contra o anjo torto da maldade.
 
Este post de hoje é uma homenagem ao Paulo Adão, poeta de Minas Gerais.

4 comentários:

disse...

Tremendo Fabio. A maioria dos poetas colocam seus sentimentos e dores no papel em verso e prosa. Eu adorei "Mezinha" Muito bom. Paz e bom dia meu amigo.

Cacá - José Cláudio disse...

OBRIGADO, gente! Vocês não imaginam o quanto isso conforta, emociona e alivia a dor. OBRIGADO SEMPRE. Abraço. paz e bem.

Anselmo Melo disse...

Etta mezinha boa eim...
Como já diz o antigo adágio:Quem canta seus males espanta!Parece também servir a quem compõe.
Paz queridos.Amo vocês!

Casal 20 disse...

Abraços sempre afetuosos, Cacá.

Poesia, boa poesia, é sempre um privilégio!

Parabéns, meu querido, pelo irmão e pelo seu sempre afeto.

Abraços também a sensível Rô e ao querido Anselmo, pastor de rico blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...