Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A história dentro da história (Pastor Samuel Costa)



A gente vive de um lado pro outro, correndo daqui e dali e nem percebe a história que Deus está construindo em nós (e por meio de nós) com os nossos acertos e tropeços. É uma história desconhecida, quase invisível, geralmente despercebida aos nossos olhos, mas que está sendo escrita pela boa mão do Senhor.

Na verdade, é uma história dentro da história.

Olho à minha volta e parece que nada está acontecendo, a não ser aquilo que pode ser relatado por mim... mas Deus vai tecendo a sua trama no que parece não ter qualquer importância. E assim, Ele vai transformando meros figurantes em personagens importantes.

Mesmo quando não percebo, o Senhor faz com que detalhes da minha vida mudem pessoas, alterem destinos, e eu mesmo vou sendo transformado por meio da vida de meus irmãos e amigos.

Não tem sido assim com todos nós? Não foi assim com os personagens bíblicos?

Na vida do apóstolo Paulo houve um artesão que construiu um grande cesto, pensando estar fazendo apenas mais um cesto (agora dos grandes). Na verdade aquele artesão estava entrando na história de Paulo sem que percebesse. Não fosse aquele cesto, e o apóstolo poderia ter morrido numa noite em Damasco, mudando todo o curso do cristianismo. O artesão, que sequer sabemos o seu nome, fazia parte da história do Senhor.

Noutra ocasião, trinta homens foram convocados pelo rei para tirarem o profeta Jeremias de uma cisterna profunda onde havia sido lançado e condenado à morte. (Jeremias 38). Os trinta homens pensavam estar apenas tirando da cisterna mais um pobre coitado, quando na verdade estavam acertando o curso da história pelas mãos de Deus.

Se logo no primeiro século eu tivesse tido a chance de perguntar ao apóstolo Paulo qual era a obra mais importante de sua vida, provavelmente ele me diria que sua obra mais importante era a plantação de suas igrejas. Por elas ele estava sendo perseguido, preso, caluniado. Por elas ele havia viajado milhares de quilômetros. Por elas ele havia gasto toda a sua vida. Contudo, nada mais resta daquelas igrejas locais. A obra principal de Paulo, sem que ele percebesse, eram as cartas que ele escrevia àquelas igrejas, e não as igrejas em si. Deus preservou as suas cartas e as transformou em parte do que hoje é a Bíblia. Nem Paulo tinha consciência da preciosidade de suas cartas.

Quando penso que a mão de Deus está conduzindo a minha história, mesmo nas lutas, nas tristezas, nas dores e decepções, então descanso. Descanso porque sei que em algum momento da minha história entrará um artesão anônimo para me salvar em seu cesto. Sim, senhor. Em algum momento da minha história também serei surpreendido por alguns homens me puxando da cisterna em que eu estiver jogado.

Sei, contudo, que só compreenderei perfeitamente o que se passa à minha volta, quando lá no céu eu estiver diante de Deus. Mas enquanto isso não acontece, digo como Davi: “O que a mim me concerne o Senhor levará a bom termo” (Salmo 138:8).

2 comentários:

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

GLÓRIAS A DEUS!!!
LINDO POST.

"Mesmo quando não percebo, o Senhor faz com que detalhes da minha vida mudem pessoas, alterem destinos, e eu mesmo vou sendo transformada....."

FAÇA ISSO SENHOR! FAÇA QUANTAS VEZES QUISER! USA-ME!

Um grande abraço ao casal.
FICA COM DEUS.

disse...

Lindo o texto do Samuel.
O Senhor sempre envia uma artesão para nos salvar. Paz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...