Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

A matemática das coisas - Cantares para ela mesma (II)

      Para Lucila Ribas











Palavras são números!...
Portanto, são tolices os escritos
derramados nesta folha de papel.

Explico: números são infinitos,
e, nem por isso, são para sempre
os extensos números aqui inscritos.

Essa ilusória infinitude matemática!...
Os números - assim como as palavras -
esmaecem na marcescibilidade das coisas.

Contudo, se nem as palavras e os números
são imortais, o que me resta são teus beijos -
enquanto, sobre a tez universal de teu corpo mágico,

eu dure.



Fábio Ribas

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...