Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam (Ct 8: 6-7; Fiel).

sábado, 25 de dezembro de 2010

Cantares da Felicidade (I)

Então, disse Léia: Para minha ventura,
porque as filhas me terão por bem-aventurada...
Gn 30:13


O que faria você feliz, Léia? Você era uma mulher de olhos ternos, olhos meigos, contudo foi sua irmã a amada de Jacó. A tristeza de ser uma mulher desprezada, preterida, findou por dominar seu coração. O que fazer para que Jacó olhasse você da mesma maneira que ele olhava sua irmã? 
 
Léia, você se tornou uma mulher aborrecida, amargurada, competitiva, todavia aprouve a Deus abrir seu ventre e dar a você um presente: uma criança, um menino. Este faria finalmente você feliz, Léia? Você depositou sobre esse filho a esperança de que, por causa dele, Jacó então a amaria.

Você estava por demais aborrecida para perceber que o amor não se compra, não se domina, não se usurpa. Casamento algum permanecerá ao custo de uma criança. A felicidade não está em seus filhos, Léia! Mas, amargurada que estava, ao ganhar um segundo filho, seu coração novamente revela o que ia dentro de você: a luta obcecada pela felicidade. “Agora”, disse você, “agora, as mulheres vão saber quem é a amada do meu marido”. Era preciso humilhar sua irmã. Era preciso amaldiçoar o amor dos dois. Você, e somente você, poderia completar a felicidade do seu marido. Enfim, todas as suas amigas reconheceriam que você era a escolhida para dar a Jacó a felicidade dele.

A felicidade está no outro, Léia? No filho, no marido, na aprovação social, em que lugares você tem buscado a sua felicidade?! Definitivamente, não encontrará a felicidade em seus filhos, em seu marido e sequer nas suas amigas. Tudo isso, essa competição toda, apenas torna seu coração cada vez mais vazio, apenas a levará ainda para mais longe da verdadeira felicidade: apelarás agora à magia das mandrágoras, ao feitiço que aprendeste com os outros, à manipulação sexual, mas não havia sido você que desde o início agradecera a Deus a dádiva da maternidade? Você está apenas cavando poços secos, querendo criar uma outra realidade com suas próprias mãos, insistindo no direito a ser feliz!... Veja, Léia, que, mesmo depois de morta sua irmã Raquel, Jacó irá transferir o amor dele ao filho da mulher amada: seus filhos, até seus filhos Léia, serão preteridos por Jacó.

Em que lugar está a nossa felicidade? Léia buscou nos filhos, no marido e no reconhecimento das suas amigas a própria felicidade. A família será sempre uma benção na trajetória da felicidade, todavia, a Bíblia sempre tornou evidente que jamais a família é a felicidade. O fato da Bíblia mostrar as amarguras dos casamentos poligâmicos e suas consequências funestas para a vida daqueles que cederam às tradições familiares pagãs ou às razões políticas da época apresenta-se como uma ilustração viva de que o propósito inicial de Deus era a monogamia. Nesta, contudo, ainda assim não está a nossa bem-aventurança. A família pode se colocar como entrave, muitas das vezes, quando nos colocamos em busca da felicidade real. É bem possível, então, que o que julgamos ser a realização da nossa felicidade esteja totalmente na contramão do que a Bíblia nos ensinará como sendo a verdadeira felicidade. Foi assim com Léia, que julgava resolver sua infelicidade depositando suas esperanças em filhos que poderiam mudar a sorte dela, num marido que poderia vir a amá-la e nas amigas que a teriam como bem-aventurada.

Podemos estar gastando excessiva energia e tempo na busca de coisas que jamais nos farão felizes! Ao contrário, é exatamente essa cobiça por felicidade que nos têm levado, cada dia mais, a nos distanciarmos do que é felicidade. 

Em que lugares você tem buscado a sua felicidade?

4 comentários:

Velvet Poison disse...

Que Deus derrame suas bênçãos no Casal e em todos os que lhes são queridos. Feliz dia de Natal!

Casal 20 disse...

Velvet, amiga, Feliz Natal também!

Bênçãos de Deus sobre sua família e saiba que nossas orações se voltam a Deus por você, querida.

Abraços sempre afetuosos.

Keith Barkman disse...

E parece que Léia não se conscientisou do fato de que dela sairia o Messias. Poderia ter se contentado nisso pois se tivesse buscado a Deus atraves de fé talvéz teria constatado seu nome no rol dos gigantes de fé em Hebreus. Felicidade - por mais que busque mais que foje...a não ser quando buscamos em Deus. (Por favor, Fabio e Lu corrige meu portugues terrivel!!)

Casal 20 disse...

Keith, saudades e grandes alegrias de te ver por aqui.

Não tem como mudar o seu escrito (o blogger não deixa eu alterar os comentários feitos), mas, saiba, com certeza, que seu português está ótimo! Parece mesmo um nacional escrevendo. Comunicou muito bem.

Nós voltaremos a falar sobre Léia mais para frente, pois é uma série sobre felicidade. Sei que ainda aprenderemos muito sobre felicidade à luz das Sagradas Escrituras.

Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...